CIRCO IRMÃOS SANTOS

circo irmaos santos 11 - 20161213_105014 (431x640)Terminou ontem ( 13 .Dez.2016)em Recreio,MG a temporada do Circo Irmãos Santos, que agora encontra-se apresentando em Laranjal, cidade próxima a Recreio. Sua última apresentação foi pra garotada e professores da Escola de Conceição da Boa Vista, num espetáculo patrocinado por amigos do circo. Como nesses últimos dias escolares é baixa a frequência dos alunos, o público poderia ter sido maior, mas quem foi ontem saiu premiado com um matinê que mostrou as diversas atrações com números de malabarismo, equilibrista, cão amestrado , Palhaços e o Táxi Maluco , que ainda com farta distribuição de pipoca e outras guloseimas fizeram a emoção e alegria de todos.
O CIRCO IRMÃOS SANTOS conta com os artistas Marcos Paulo, Hélio Batista, João Batista, Alice , Milena e Marilene.

veja mais foto em RADIANTE RECREIO

TÁXI MALUCO em ANO RADIANTE

EQUILIBRISTA em ANO RADIANTE

Tudo sobre Assessoria de Imprensa

Tudo que você sempre quis saber sobre assessoria de imprensa mas não teve coragem de perguntar

*Vera Lucia Rodrigues

Assessoria de imprensa é um conceito do âmbito da comunicação, sendo uma ferramenta responsável pela relação com a mídia que envolve áreas como publicidade, relações públicas, jornalismo e propaganda. É muitas vezes feita por uma agência ou um departamento de relações públicas.

Aí você começa a pesquisar na internet, que é uma das formas mais rápidas e mais baratas de se fazer uma consulta, e chega a inúmeras definições.” Continue lendo em TEMPOS RADIANTE e saiba tudo sem fazer a pesquisa .

Vídeo sobre Mauro de Almeida Pereira tem tudo a ver com Tempos Radiante

A partir das 17 horas , NESTA SEGUNDA-FEIRA, DIA 4 DE JULHO/2016, a Rádio Web Radiante Recreio, de O JORNAL DE RECREIO,Minas apresenta o primeiro número de seu projeto RECREIO DE BOA MEMÓRIA em versão oral, dando continuidade ao que já vem sendo feito nas edições impressas de OJR,M. O programa , vai focar MAURO DE ALMEIDA PEREIRA ( 1915 / 2001 ) e relembrar de suas atuações que tem tudo a ver com a nossa história, pois o Notário, genealogista. escritor e historiados Mauro foi Secretário Municipal e Escrivão em Recreio, tendo colaborado nos jornais O Verbo e Voz da Cidade ( este na década de 90, escrevendo artigos sobre a história do nosso município), além de outros jornais , de Leopoldina e região, falando sempre na história dos municípios da região. OUVIR NA RÁDIO RADIANTE RECREIO

mais informação sobre o programa de lançamento em RADIANTE RECREIO

Leopoldina realiza grande manifestação pra comemorar Semana Nacional Antidrogas

SEMANA-NACIONAL-ANTIDROGAS-POLICIA-MILITAR-LEOPOLDINA-ESCOLAS-DE-LEOPOLDINA-FOTO-JOSE-AUGUSTO-CABRAL-O-VIGILANTE-ONLINE  FOTO : José Augusto Cabral (O VIGILANTE ONLINE)

Leopoldina foi palco de uma grande manifestação popular na manhã desta sexta-feira (24), ao comemorar com uma caminhada, a Semana Nacional Antidrogas. A concentração começou às 09h00 na Praça Professor Botelho Reis (Praça do Ginásio), onde 23 escolas das redes municipal, estadual e particular, com seus alunos e educadores, se integraram às representações da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar Ambiental, além de representantes dos Poderes Executivo e Legislativo do município, profissionais liberais, desportistas e populares. REPORTAGEM COMPLETA EM O VIGILANTE ONLINE

Nova pílula contra câncer gera polêmicas

Artigo sobre a pílula do câncer, a fosfoetalonamina, com o oncologista do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba, Dr. Elge Werneck Júnior.

Há, também, vídeo-release sobre o assunto com o médico – https://youtu.be/3aLiLf8LrFw

Não somos adversários!
*Dr. Elge Werneck Júnior

Motivos não faltam, números também não. A Organização Mundial de Saúde estima que em 2030 ocorrerão 27 milhões de novos casos de câncer e 17 milhões de mortes. Considerando-se essa diferença entre incidência e mortalidade e o número de pacientes que sobreviveram ao câncer em anos anteriores, a estimativa é de 75 milhões de indivíduos vivos, curados ou em tratamento da doença.
Esses números mostram que é preciso acabar com o estigma antiquado de que o câncer retrata a morte, pois existem cada vez mais tratamentos, medicamentos e maneiras para evitá-lo, enfrentá-lo e vencê-lo. Um exemplo claro é o trabalho desenvolvido mundialmente contra o tabagismo, responsável por aproximadamente 30% de todos os casos de câncer no mundo.
A prevenção por meio de hábitos saudáveis, desde a interrupção do fumo até a prática de exercícios físicos e alimentação saudável, é um grande aliado no combate às doenças neoplásicas. Entretanto, não é garantia de que estamos fora de risco. Assim, continuaremos por décadas enfrentando essa realidade de números alarmantes de câncer, esperando que novos conhecimentos sobre as causas e os resultados de todas as práticas preventivas se reproduzam em queda nessa incidência.
A aplicação da fosfoetalonamina nesse cenário traz um alento àqueles que vivenciaram, na própria pele ou na de pessoas próximas, a dolorosa experiência de enfrentar o câncer. Surge como luz de esperança em casos já vistos como perdidos, respaldados por relatos individuais de sucesso. Entretanto, há um viés crítico na interpretação do que se fala sobre essa droga, justamente, na validade do que se é dito.
A aplicação de drogas, seja para tratar um sintoma (febre, por exemplo) ou uma doença como o câncer, é obrigatoriamente amparada por estudos clínicos, obedecendo a regras preestabelecidas de eficácia e segurança. Essas regras, que precedem os outros desfechos dos tratamentos médicos, constituem um dos princípios mais importantes da Medicina: o da não maleficência, de não causar mais danos do que a própria doença. A forma de reconhecer que a droga usada hoje não será letal daqui a 10 anos, como já vimos em casos de quimioterápicos que induziram o desenvolvimento de leucemia ou insuficiência cardíaca, passa por uma observação criteriosa, detalhada, construída ao longo de anos, respeitando variáveis inerentes ao paciente, doença e tratamento. É por isso que os passos dados em Medicina são, habitualmente, lentos: prioriza-se a segurança.
Assim, rotular esse produto, a fosfoetalonamina, como salvador da pátria, configura total desespero, justificável em quem vive a doença, mas inconcebível para aqueles responsáveis pelo equilíbrio do Estado, pela organização da saúde publica, pela segurança de toda uma Nação.
A comunidade médica anseia por novos tratamentos, cada vez mais eficazes e menos mórbidos, porém, sabe exatamente a consequência do uso indiscriminado do desconhecido. O médico oncologista não é adversário do paciente e seus familiares quando não concorda com a fosfoetalonamina. Mas, sim, alguém preocupado com o futuro do seu paciente, visando buscar um medicamento mais seguro e não uma panaceia que apenas ilude a quem mais precisa.

*Dr. Elge Werneck Júnior é membro titular da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica e atua na prevenção, diagnóstico e no tratamento do câncer na Clínica de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC), Clínica de Oncologia e Hematologia de São Paulo, no Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), no IAMSPE e no Hospital Heliópolis – em São Paulo. Possui cursos na Universidade de Yale, Universidade da Filadélfia e no MD Anderson Cancer Center.